Homenagem ao Pastor


Aos 10 dias de janeiro faleceu o nosso Bispo Emérito de Mossoró, Dom José Freire de Oliveira Neto, aos 83 anos de idade. Tinha sido internado no dia 31 de dezembro por causa de um AVC hemorrágico cerebral, no Hospital Wilson Rosado. Após intervenção cirúrgica de emergência, permaneceu em estado de coma até o decesso.
A Diocese inteira parou para se despedir do pastor zeloso que ficou por muito tempo a sua frente. Dom José nasceu no município de Apodi, em 09 de março de 1928. Educado com os irmãos aos valores cristãos pelos pais, sentiu cedo o chamado de Deus e ainda novo, aos 16 anos, entrou no Seminário de Santa Teresinha de Mossoró, onde cursou o ensino ginasial. Em 1950, foi enviado para cursar filosofia, em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, seguindo, logo após, para Roma para o curso de teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana.
Ordenado padre em Roma, aos 22 de setembro de 1956, regressou à Diocese, onde foi vigário paroquial, pároco da paróquia do Sagrado Coração de Jesus (que atendia a área que hoje é São Manoel) e reitor do Seminário Santa Teresinha. Em 1973, quando estava fazendo mestrado em catequese, em Roma, foi eleito bispo auxiliar de dom Gentil Diniz Barreto, que o ordenou na Capela do Pio Brasileiro, na cidade santa, aos 2 de junho de 1974. Em 1979, foi nomeado bispo coadjutor e, aos 14 de março de 1984, por ocasião da renúncia de dom Gentil, assumiu o governo como Bispo Diocesano até outubro de 2004.
”Na verdade – escrevia o papa João Paulo II a Dom José, na oportunidade dos 25 anos de vida episcopal – dificilmente há algum cargo eclesial que tu não tenhas exercido até agora com honradez: uma grande utilidade espiritual para o mesmo amadíssimo povo de Mossoró. Certamente por tua fidelidade à Igreja, propuseste a sã doutrina de Cristo àqueles fieis cristãos e aos companheiros presbíteros providenciastes as mais aptas estruturas diocesanas, prevenistes e defendestes as dificuldades do tempo atual.
Demonstraste em ti mesmo uma aparência de bom pastor para todos que ti vêem e, configurado à morte do próprio Cristo Redentor, não abandonaste a ajuda e o bom conselho que propicia para eles uma maior conciliação eterna e terrena, também no meio das graves dificuldades sociais desta vida. Descobrimos assim, venerável irmão, inúmeras razões para nos congratularmos ardentemente contigo, por este teu sagrado ministério, tanto sacerdotal como episcopal”.Sentimos que as palavras do saudoso Papa assumem hoje, diante da sua morte, um valor ainda mais profundo e agradecemos a Deus pela vida e pelo serviço prestado por Dom José à Diocese, ao povo desta região potiguar e aos pobres em particular.
No enquanto, entregamos os restos mortais de Dom José à sacralidade da catedral para que se sejam memória dos pastores que passaram, colocamos o seu espírito nas mãos do Pai para o prêmio eterno prometido aos obreiros do Evangelho.

                                                                                                   Repouse em paz para sempre.
Dom Mariano Manzana
                                                                                                                    


Missa de 30 dias do falecimento de Dom José Freire 
Sexta-feira- às 17h
Local- Catedral de Santa Luzia