Este é o Dia que o Senhor fez para nós: Alegremo-nos e Nele Exultemos !




                O Salmo que cantamos na liturgia do domingo da Ressurreição do Senhor expressa o caráter fundante da nossa fé cristã: o dia que o Senhor fez para nós. A Morte e a Ressurreição de Cristo são o mistério central de nossa fé e disto decorre todo o nosso ser cristão e o ordenamento do ano litúrgico. É o dia que o Senhor fez para nós porque, como afirma a Igreja em seus documentos,  o Mistério de Cristo se destina ao homem e o mistério do Homem se refere a Deus. Por isso nos alegramos, exultamos de alegria. A certeza de que Cristo não apenas morreu por nossos pecados, mas ressuscitou para dar significado a nossa esperança. A esperança cristã não é uma ilusão pelo fato de não se sustentar em nossas forças, mas na misericórdia de Deus que em seu Filho nos libertou do pecado e da morte, de nós mesmos e nos abriu um horizonte novo de possibilidades. Podemos crer numa vida mais digna, num mundo melhor e plenificação da nossa vida na ressurreição. Aquele que não nos engana atrai o coração de cada homem e cada mulher para a penetração nesse  Mistério.
Podemos contemplar este Mistério presente em toda a criação e na nossa vida. Num certo sentido, a criação inteira todos os dias morre e renasce continuamente pela força vital impregnada por Deus que move a natureza. Nossa vida se realiza num contínuo morrer e renascer a cada dia, como nos sinaliza o movimento do sol, que nasce na aurora de cada dia, encontra seu ponto alto ao meio-dia e entra em ocaso dando lugar a noite que fica em companhia da lua. Isto sinaliza todo o transcurso da nossa vida, que no cotidiano é marcada também por cruz e ressurreição, sofrimento e alento, tristezas e alegrias, oferta de vida e superação dos desafios até para além da morte propriamente dita, a ressurreição final. O Mistério de Cruz e Ressurreição está cravado na criação inteira e no desenvolvimento da nossa vida.
Diante dessa realidade não devemos temer a cruz, mas  assumi-la em nossa vida como uma participação na oferta de Cristo em favor da salvação de todos. Da aparente derrota da cruz e de seu aspecto sombrio, triste, refulge a luz fulgurante da ressurreição, da criatura nova que somos  chamados a viver pela Graça de Deus. Abandonando o homem velho, Deus nos torna em seu Filho criaturas novas em vista de um mundo novo, um novo céu, uma nova terra.
Uma feliz e abençoada Páscoa a todos. Que a luz da Ressurreição do Senhor refulja em nossos corações, renovando nossas esperanças e nos dê coragem para sermos sinal de vida nova para o mundo.
               
Dom Mariano Manzana
Bispo Diocesano