Quaresma: Do Deserto a Vida Nova em Cristo



 O tempo da Quaresma evoca duas imagens que nos ajudam a compreender sua espiritualidade, o caminho que somos chamados a percorrer. A primeira é a do êxodo, o caminho que o povo hebreu realizou durante quarenta anos, partindo da terra da escravidão em busca da terra da liberdade. A segunda é a tentação de Jesus no deserto. Depois de quarenta dias, Jesus tentado pelo demônio nos ensina que sua força provém de uma profunda intimidade com o Pai pelo conhecimento da Palavra.
 Podemos ver a caminhada do povo pelo deserto como uma síntese profética da trajetória humana que é chamada a sair de si mesma,deixar-se conduzir por Deus e enfrentar os desafios do caminhar para alcançar uma realidade mais digna numa terra onde “jorra leite e mel”.
A tentação do deserto vivida por Jesus nos revela aquilo que o homem é chamado a viver: a fidelidade a Deus. Jesus nos ensina como atravessar o deserto de nossa existência e onde encontrar forças para enfrentarmos nossas fraquezas e superar a tentação de nos fecharmos em nós mesmos, em nossas ilusões.
 Ao longo da Quaresma a Igreja nos convida a entrar no deserto com Jesus, enfrentando  nossos medos, e seguir os seus passos até a cruz para “nEle morrer e com Ele ressuscitar”. Deus não nos chama para morrer no deserto, mas para atravessá-lo confiantes, na certeza de que Ele nos guia e nos quer participantes de sua vida divina. Mas isto não é possível sem a cruz. Não há ressurreição cristã sem a cruz. E por sua vez, não há cruz vivida cristamente que não nos leve à ressurreição, a uma vida nova. Deixemo-nos, portanto, conduzir por Deus no deserto para além da cruz de seu Filho e nEle podermos alcançar a  vida abundante que nos prometeu.


                                                                              Dom Mariano Manzana