Padre Ricardo Rubens afirma que Igreja tem papel de cobrar políticas públicas.



A Câmara dos Vereadores de Mossoró debateu sobre a miséria na cidade na sessão da manhã desta quarta-feira (4). A audiência faz parte da programação da Festa de Santa Luzia, que tem como tema “Ver com os olhos da caridade”. O padre Ricardo Rubens acredita que a Igreja tem o papel de cobrar políticas públicas, por ter o papel de lutar pelo combate a disparidade social.
“A Igreja como instituição pública tem o dever de provocar o legislativo, para observar os problemas sociais. Como o tema da Festa de Santa Luzia é a caridade, nós acreditamos que o momento é pertinente. A Igreja não vai colocar políticas públicas, pois não é o dever dela. Nosso papel é sugerir e os legisladores analisarem as questões em pauta e colocarem as emendas”, declarou o padre Ricardo Rubens, ressaltando que o tema foi colocando em pauta pelo vereador Irmão Narcizo.
O presidente da Câmara dos Vereadores, Francisco José Júnior, acredita que se trata de um debate pertinente, fazendo com que a Festa de Santa Luzia deixe um legado para a sociedade mossoroense.
“Nesse clima de espiritualidade, onde todos nós somos cristãos e filhos de Deus, estamos debatendo sobre as políticas públicas, para que a Igreja traga, por meio da Câmara, medidas que vão ser pertinentes para o combate a miséria em Mossoró”, declarou Francisco José Júnior.
Ricardo Rubens aponta que a fé cristã leva os religiosos a observarem os problemas dos mais carentes, uma vez que a orientação bíblica é de dar de comida a quem tem fome e bebida a quem tem sede. Dessa forma, ele aponta que não se pode apenas discursar sobre a fraternidade, ela tem que ser posta em prática no dia-dia.
 “Através da nossa fé, vivemos o ideal cristão de caridade. O religioso é complacente com o mais carente. Nessa Festa de Santa Luzia estamos reforçando esse ideal cristão, trabalhando em várias frentes no combate a miséria. Estamos realizando ação social, doação de donativos e cobrando políticas públicas”, disse o padre. 
Fonte: Jornal de Fato