Posse do Bispo Eleito de Caicó será no dia 24 de maio de 2013.


O futuro bispo de Caicó, dom Antonio Carlos Cruz Santos, usará como lema episcopal “Olharão para Aquele que transpassaram (Jo 19, 37)”, que faz alusão à Paixão de Jesus e à devoção ao seu Sagrado Coração.
MENSAGEM DO NOVO BISPO DE CAICÓ AOS SEUS DIOCESANOS
Juiz de Fora, 15 de fevereiro de 2014
Querido povo de Deus presente na Diocese de Caicó
Amado seja por toda parte o Sagrado Coração de Jesus!
Meus irmãos no ministério ordenado, minhas irmãs e meus irmãos consagrados e minhas irmãs e meus irmãos fieis leigos, acolho com muita alegria esta minha nomeação para exercer o ministério episcopal junto com vocês. Acolho com alegria por ter percebido, após um discernimento inaciano, que isto era vontade de Deus. Acolho com alegria por ser no nordeste do Brasil, pois sou carioca filho de alagoanos. Fui batizado e crismado na catedral de Penedo- AL, apesar de nunca ter morado no nordeste. Estive inúmeras vezes visitando o nordeste e sempre me senti identificado com o povo nordestino, com a sua calorosa receptividade, com a sua religiosidade, com o seu folclore, com a sua culinária, com a sua música etc. Faço minhas as palavras de Santo Agostinho: “Para vocês sou bispo, com vocês sou cristão”. Quero caminhar com vocês, buscando fazer com prazer a vontade do Pai.
Quando foi anunciada a minha nomeação estava pregando o retiro para os seminaristas diocesanos de Nova Iguaçu (RJ) e por isso não pude lhes escrever antes.
Quando fui consultado pelo Núncio Apostólico no último dia 29, me vieram ao coração as palavras do papa Francisco na homilia da missa dos Santos Óleos do Ano passado: “…isto vo-lo peço: sede pastores com o «cheiro das ovelhas», que se sinta este –, serem pastores no meio do seu rebanho, e pescadores de homens”. Também me vieram as palavras do papa Francisco aos bispos responsáveis do Celam, no encerramento da JMJ, no Rio de Janeiro: “Quem guia a pastoral, a |Missão Continental (seja programática, seja paradigmática), é o Bispo. Ele deve guiar, que não é o mesmo que dominar…Os Bispos devem ser Pastores, próximos das pessoas, pais e irmãos, com grande mansidão: pacientes e misericordiosos. Homens que amem a pobreza, quer a pobreza interior como liberdade diante do Senhor, quer a pobreza exterior como simplicidade e austeridade de vida. Homens que não tenham “psicologia de príncipes”. Homens que não sejam ambiciosos e que sejam esposos de uma Igreja sem viver na expectativa de outra. Homens capazes de vigiar sobre o rebanho que lhes foi confiado e cuidando de tudo aquilo que o mantém unido: vigiar sobre o seu povo, atento a eventuais perigos que o ameacem, mas sobretudo para fazer crescer a esperança: que haja sol e luz nos corações. Homens capazes de sustentar com amor e paciência os passos de Deus em seu povo. E o lugar do Bispo para estar com o seu povo é triplo: ou à frente para indicar o caminho, ou no meio para mantê-lo unido e neutralizar as debandadas, ou então atrás para evitar que alguém se atrase mas também, e fundamentalmente, porque o próprio rebanho tem o seu faro para encontrar novos caminhos”. Comungo plenamente com essas palavras e desejo vivê-las no meu ministério.
Tomei consciência que vocês celebrarão 75 anos da criação da diocese no próximo dia 25 de novembro, dia do meu aniversário. Venho para somar nesta caminhada, acolhendo como graça tudo que foi feito pelos meus antecessores: Dom José de Medeiros Delgado, Dom José Adelino Dantas, Dom Manoel Tavares de Araújo, Dom Heitor de Araújo Sales, Dom Jaime Vieira Rocha e Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, OFMCap. Quero caminhar em caminhar com os meus irmãos no episcopado, sobretudo com os bispos do Regional NE 2.
Também tomei ciência que esta região vive o flagelo da seca, pois não chove há 3 anos. Quero colaborar, em comunhão com a Diocese de Caicó, junto com outras pessoas de boa vontade para amenizar o máximo possível as dores causadas pela seca. Que neste momento sejamos capazes de encontrar Aquele que é a fonte que jorra para a vida eterna. Oxalá, saciados por esta fonte, possa jorrar do nosso seio rios de água viva.
Fiquei feliz em saber que os Meios de Comunicação são uma prioridade para a Evangelização nesta Diocese. Alegrou-me em saber que vocês são solidários com outra diocese mais carente de clero e souberam dar da sua própria pobreza, enviando irmãos presbíteros.
Ao longo dos meus 21 anos de ministério presbiteral trabalhei a maior parte do tempo como formador, por isso quero acolher a todos os seminaristas de nossa diocese. Convido a Diocese a rezar e a promover as vocações sacerdotais e religiosas. Como religioso MSC trabalhei em comunhão com a CRB. Quero acolher com um carinho especial todos os consagrados e todas as consagradas. Trabalhei também com a Pastoral da Juventude, pois minha vocação brotou neste meio. Quero acolher todos os jovens com carinho e convidá-los a oferecer o vigor da sua juventude para a edificação do Reino de Deus. Fui vigário paroquial em diversas paróquias. Acolho todas as paróquias da nossa diocese convidando-as a serem uma igreja viva. Durante vários anos acompanhei nas casas de recuperação para dependentes químicos. Admiro o trabalho daqueles que se dedicam a esta missão tão redentora. Convido aos nossos dependentes a acreditarem na libertação que Cristo trouxe. Ultimamente estava acompanhando um grupo de casais. Que possamos fazer o melhor para que nossas famílias sejam uma igreja doméstica. Acolho todos os enfermos e idosos, todos os que sofrem, todos os que se sentem excluídos, que possamos encontrar Aquele que cura os corações feridos.
Por fim, quero acolher e estar aberto a todos, não só aos membros da Diocese de Caicó, mas aos irmãos e às irmãs de outras denominações religiosas, aos irmãos e às irmãs que não creem. Com certeza Aquele e aquilo que nos une é muito maior do que tudo aquilo que nos separa.
Quando o Núncio Apostólico me apresentou o nome da Diocese a primeira coisa que me veio a mente foi a canção tão conhecida: “O mana deixa eu ir, o mana eu vou só
O mana deixa eu ir, para o sertão de Caicó”. Com certeza eu não vou só. Vou impulsionado pelo Espírito daquele que me enviou, vou apoiado pela Congregação dos Missionários do Sagrado, minha família religiosa, vou sabendo que estarei indo para o meio de irmãos e irmãs. A canção vai me levando.
Minha ordenação episcopal será no dia 10/5, véspera da Festa do Bom Pastor, às 9h, na Matriz de S. Pedro de Alcântara, no bairro de Alcântara, em S. Gonçalo, no Estado do Rio de Janeiro, na Arquidiocese de Niterói. A posse está marcada para o dia 24/5, às 17h na Catedral de Santana, aí em Caicó.
Rezem por mim para que eu seja fiel Àquele que me confiou esta missão.
Que Nossa Senhora do Sagrado Coração, que S. José – exemplo e padroeiro daqueles que amam o Sagrado Coração e Santana possam interceder por todos nós.
De peito aberto…
Pe. Antonio Carlos Cruz Santos, msc