Diocese celebra os 100 anos de Monsenhor Huberto Bruening.




“Ele dizia que as abelhas o deixavam mais próximo de Deus”. Com essa frase o amigo Paulo Roberto Menezes mexeu no baú de suas memórias para relembrar padre Huberto Bruening, que estaria completando 100 anos, se estivesse vivo, no dia 30 de março. Neste dia, às 9 horas, a Diocese de Mossoró celebra uma missa presidida pelo Bispo Dom Mariano Manzana com a presença de todo clero e lança a programação oficial dos 80 anos de criação da Diocese de Santa Luzia de Mossoró.
Nascido em 30 de março de 1914, em São Ludgero, Santa Catarina, de ascendência alemã, Monsenhor Huberto, como era chamado, exerceu o sacerdócio por longos 48 anos em Mossoró, cidade que escolheu como sua segunda pátria. Pelas mãos do primeiro bispo da Diocese, Dom Jaime Câmara, o seminarista Huberto chegou na terra de Santa Luzia, foi ordenado e se tornou reitor do Seminário Santa Teresinha e vigário da Catedral de Santa Luzia. Faleceu no dia 29 de agosto de 1995, deixando lições valiosas tanto na evangelização como no universo da ciência. Muitas dessas foram levadas pelas ondas da Rádio Rural, onde ele apresentava sempre às 18 horas o programa “Mensagens de Fé”. Outra página importante na vida de padre Huberto foi a sua grande contribuição para a ciência.



 Durante 30 anos, o sacerdote observou sistematicamente o comportamento das abelhas Jandaíra. Segundo Paulo Menezes, que foi levado por ele a também se apaixonar pela meliponicultura, padre Huberto é referência no assunto no mundo acadêmico. “Ele é considerado um dos maiores e o seu livro “Abelha Jandaíra” está na terceira edição e  é estudado em várias universidades”, relembra Paulo. Ele acrescenta que mais que ensinar a criar abelhas, monsenhor soube apontar caminhos éticos e morais que levam ao desenvolvimento sustentável. Hoje existe um projeto Padre Huberto de Preservação de Abelhas Jandaíra em vários assentamentos de Mossoró.
Durante o manejo das abelhas nas dependências da casa paroquial ou da ESAM, atual UFERSA, instituição que recebeu das suas mãos todo material estudado,  padre Bruening gostava de dizer: “Como não conheço nenhum escrito específico sobre Jandaíra, fui obrigado a frequentar a escola das Jandaíras, observando seus hábitos, seu trabalho, sua família, sua casa, sua organização, manias e travessuras. Isto por mais de 30 anos. Serviu de aprendizado, lazer, higiene mental e reconstituinte, passatempo, espanta tédio e, sobretudo, é o segredo de manter-me em contato com Deus”.    

  
Celebração

Dia 30/03 - Centenário de Pe. Huberto e lançamento da programação dos 80 anos da Diocese
Local - Catedral de Santa Luzia
Horário - 9h