Cantai, Cristãos !!




A sequência pascal entoada na liturgia do Domingo da Ressurreição do Senhor expressa júbilo e um testemunho entusiasmado de um ressuscitado em Cristo. Ou seja, de alguém que, tendo experimentado da força da ressurreição do Senhor, transborda em contentamento e contempla um Novo Tempo: A Vida Nova, nascida na obscuridade da cruz, cruel realidade imposta ao "Cordeiro inocente, tornado ovelha imolada, que abriu-nos do Pai o aprisco" ( Seq. Pascal) . Deixemo-nos todos alcançar por esta verdade, cantando como nas primícias da Igreja: Ó morte! Onde está tua vitória? Este canto deve ressoar em nosso coração como um testemunho de um ressuscitado em Cristo, uma profissão de fé de quem se "esforça para não perder a Graça da Vida Nova, buscando as coisas do alto" ( Cf Col 3,1).
Devemos nos deixar entusiasmar pela coragem e convicção do apóstolo Pedro, que tendo consciência daquilo que viveu, aprendeu, contemplou e experimentou, não hesitou em fazer memória de Cristo em sua pregação num testemunho lúcido sobre o mistério da vida, paixão, morte e ressurreição de Jesus, por meio de uma releitura de fé sobre todos os acontecimentos. ( At 10, 34-47). Não há como não comunicar aos outros esta grande alegria tão presente em nossa vida, não obstante os desafios que nos cercam, as feridas e dores que nos afetam ao longo da vida. APáscoa é uma realidade e uma profecia. Está na dinâmica da nossa vida cotidiana o morrer e o renascer contínuo até a vida definitiva, "pois nossa vida está escondida com Cristo em Deus"( Cf. Col 3,3). Sim, de fato, "este é o "dia" que o Senhor fez para nós" ( Sl 117), pois toda nossa esperança de um mundo novo se fundamenta neste mistério da morte e ressurreição do Senhor, na certeza de que Deus não nos abandonou à própria sorte, a nós mesmos. Ele, vencedor da morte, abriu-nos as portas da eternidade. ( Cf. Oração do Dia Dom. da Ressurreição)

Motivada pelo anúncio das mulheres, a Igreja nascente nas pessoas de Pedro e João tornou-se testemunha da ressurreição do Senhor ao contemplar o sepulcro abandonado. "Ele viu e acreditou" ( Jo 20,8). Algo novo irrompeu da realidade sombria e dolorosa da morte. Da angústia à esperança, da tristeza ao entusiasmo, do medo à coragem, transformam-se os corações das "testemunhas escolhidas por Deus" ( Cf. At 10,41). Hoje somos nós estas testemunhas convocadas por Deus para, como Igreja, anunciar com a mesma coragem e "dar graças ao Senhor porque Ele é bom, eterna é a sua misericórdia ( Sl 117). Que a graça da ressurreição do Senhor alcance o coração de todos . E nos esforçando na busca das coisas do alto, caminhemos firmes cooperando com Deus na edificação do seu reino, o mundo novo que há de vir.

                                                                          Feliz Páscoa a todos!"


Dom Mariano Manzana