Festa de Nossa Senhora dos Navegantes em Areia Branca-RN





 ORIGEM DA FESTA DE NOSSA SENHORA DOS NAVEGANTES

É sem dúvida, a festa religiosa de maior repercussão nos círculos católicos da cidade e municípios vizinhos. Sua origem nos foi relatada por D. Francisca de Souza, católica praticante, há 50 anos Presidente do Apostolado da Oração, por muitos anos professora primária da vila. O seu depoimento:
Em maio de 1911, o conhecido rebocador “Sucesso”, do tráfego do nosso porto, viajou a Recife-PE, rebocado pelo vapor “Assú” para nos estaleiros daquele porto, submeter-se a reformas gerais nas suas máquinas. Navegava assim rebocado, quando na altura do Cabo de St°. Agostinho, o cabo bastante longo, que o prendia ao vapor, enroscou-se na hélice em consequência da grande agitação do mar! A situação tornara-se perigosa!
Foi quando seu maquinista, o areiabranquense Manuel Félix do vale, católico, membro de tradicional família, resolveu mergulhar com risco da própria vida, com uma faca na mão, cortar o cabo enroscado na hélice, evitando assim iminente naufrágio do rebocador. Ao mergulhar, certo do perigo, fez uma promessa a Nossa Senhora dos Navegantes de levar a Areia Branca a sua imagem, entronizá-la no altar da nossa igreja e organizar todos os anos, no dia 4 de Junho, uma bonita procissão marítima em nosso porto interno. E cumpriu.
A data, porém, foi posteriormente mudada para 15 de agosto, consagrado a Nossa Senhora, pelo Bispo D. Antônio Cabral dos Santos.


ORAÇÃO DOS NAVEGANTES


Ó nossa Senhora dos Navegantes, Mãe de Deus, criador do céu e da terra, dos rios, lagos e mares, protegei-me em todas as minhas viagens. Que ventos, tempestades, borrascas, raios e ressacas não perturbem a embarcação e que monstro nenhum, nem incidentes imprevistos causem alteração e atraso à minha viagem, nem me desviem da rota traçada.
Virgem Maria, Senhora dos Navegantes: minha vida é a travessia de um mar furioso. As tentações, os fracassos e as desilusões são ondas impetuosas que ameaçam afundar minha frágil embarcação no abismo do desânimo e do desespero.
Nossa Senhora dos Navegantes, nas horas de perigo eu penso em Vós e o medo desaparece. O ânimo e a disposição de lutar e de vencer tornam a me fortalecer. Com a vossa proteção e a bênção de vosso Filho, a embarcação de minha vida há de ancorar segura e tranquila no porto da eternidade.                     Amém.