Concílio Vaticano II: bispos recordam frutos e importância


Uma sessão solene no Centro de Eventos Padre Vitor Coelho de Almeida em Aparecida (SP) no início da noite desta sexta-feira, 17, recordou os 50 anos do Concílio Vaticano II, maior evento da Igreja no século XX. Além dos bispos que participam da 53ª Assembleia Geral da CNBB, estiveram presentes líderes de outras denominações cristãs.
A sessão foi aberta com o discurso do presidente da Comissão para o Ecumenismo da CNBB, Dom Francesco Biasin, que expressou o contentamento dos bispos com a presença de seus irmãos de outras denominações cristãs, o que ele considera imprescindível para comemorar os 50 anos do Concílio, que abriu novos horizontes de diálogo entre as Igrejas, bem como com outras religiões.
Tal presença é, segundo Dom Biasin, a garantia de que esses 50 anos foram frutuosos e que vale a pena investir em pontes de diálogo para que a oração de Jesus – “Pai, que todos sejam um” – de fato se concretize.
Também presente na solenidade, o arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da CNBB, Cardeal Raymundo Damasceno Assis, informou que, em dezembro, o Papa Francisco presidirá uma celebração comemorativa pelos 50 anos do CVII. Para aproveitar a reunião dos bispos na Assembleia Geral, foi incluída essa sessão solene. “Com ela nós nos preparamos para comemorar o aniversário do maior acontecimento da Igreja no século XX”.
O cardeal também expressou a alegria de poder contar com a presença de líderes de outras denominações cristãs, o que só reforça o ecumenismo e ajuda a continuar na via ecumênica tão desejada pelos padres conciliares e pelos pontífices que assumiram o governo da Igreja após o CVII. “O ecumenismo é um dos grandes temas que o concílio impulsionou”, disse Dom Damasceno.
“Os resultados desse Concílio se estenderam ao mundo inteiro, aos cristãos católicos romanos e aos de muitas outras denominações cristãs”, recordou o presidente do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC), Dom Flávio Augusto Borges Irala, da Igreja Anglicana. Em nome de todo o Conselho, ele saudou os bispos da CNBB e todos os cristãos pelos 50 anos do Concílio.
“Seus documentos [do Concílio], que permanecem atuais e desafiadores, continuem inspirando, iluminando nossa caminhada e nos aproxime e fortaleça ainda mais na unidade sonhada por todos nós”.
Durante a sessão, foram reproduzidos textos de São João XXIII no discurso de abertura do Concílio, em 11 de outubro de 1962, bem como imagens do evento, que foi realizado em 10 sessões e terminou em 1965.