Diocese de Mossoró vive momento histórico: Dom Mariano Manzana ordena quatro seminaristas com diáconos transitórios e três diáconos permanentes



Desde que Dom Mariano Manzana assumiu a Diocese de Mossoró, em 2004, manifestou o desejo de estudar com calma a implantação do  Diaconato Permanente. Enfim, chegou o grande dia. Em 24 de maio de 2015, às 9 horas, na Catedral de Santa Luzia, serão ordenados diáconos os seminaristas  Deivid Franklin, Demétrio Júnior Freitas, Davi de França e Gláudio Fernandes Costa e três diáconos permanentes George Carlos da Silva ( Paróquia São João Batista, em Mossoró),  Jorge Luiz Torres e Luiz Alberto Paiva ( Paróquia de Apodi).  Durante a 53ª Assembleia Geral, em Aparecida, foi divulgada uma mensagem aos mais de 3,4 mil diáconos permanentes do Brasil que atuam em 160 dioceses. O texto recorda os 50 anos da restauração do Diaconato Permanente, ocorrida durante o Concílio Ecumênico Vaticano II. Os bispos afirmam ser “testemunhas do bem que os diáconos têm feito à Igreja no Brasil”.
 O diaconato permanente faz parte da história da Igreja e na Igreja Oriental ele nunca deixou de existir. Trata-se de uma vocação específica que deverá ser acolhida pela Igreja. Essa realidade pode ser percebida no Livro dos Atos dos Apóstolos – Atos 6,1-11.
O trabalho do diácono permanente tem muito a colaborar nas paróquias e comunidades. O diácono pode realizar batizados, assistir e abençoar casamentos, fazer as celebrações da Palavra, encomendações, assessorias de pastorais e movimentos diocesanos, além de estender seus trabalhos na formação para lideranças. Além dessas atividades, exerce ações de caridade pastoral como atendimento aos doentes e ações sociais.


Escola Diaconal

A Escola Diaconal vai chegar em Pau dos Ferros para atender toda aquela região com aulas aos sábados e gratuitas. O curso terá duração de quatro anos com os seguintes requisitos: idade mínima de 35 anos para casados ( na data de ordenação) e consentimento da esposa; 25 anos para solteiros ( na data de ordenação). Lembrando que o candidato a diácono permanente solteiro não pode casar e nem ser padre. Tanto solteiros como casados devem ser indicados pelo padre e aceito pelo Bispo e devem fazer parte de alguma pastoral. O curso será gratuito e no momento oportuno as fichas de inscrição estarão sendo enviadas para as paróquias. A Diocese solicita aos padres que incentivem as vocações diaconais e divulguem a Escola Diaconal. Mais informações: 9611-1261 e 8116-1809 – George Carlos.

Depoimentos

“Vamos fortalecer nossa Igreja particular com o serviço fundamentado na caridade, a Palavra e a Liturgia” - Diácono Permanente - Luís Alberto de Paiva

“Em 1998, senti um chamado especial para o sacerdócio, foi quando fiquei na Matriz de São João Batista como coroinha. Mas, em 2003, conheci, me apaixonei e casei com uma moça que hoje é minha esposa.  Mas a voz nunca calou até que fiz Teologia e pedi a ordenação diaconal ao Bispo Dom Mariano e hoje me sinto pronto para servir” - Diácono Permanente -George  Carlos da Silva

“Eu,  Jorge, futuro diácono da Diocese de Santa Luzia de Mossoró, venho apresentar a importância do diaconato na minha vida, pois inicia-se uma nova etapa, tenho uma tese de ser caminho para o povo de Deus, assíduo e convicto no evangelho. Nessa etapa, sou convidado a realizar e cumprir o que nos pede o nosso Salvador, Jesus Cristo. Ide e tornai discípulas todas as criaturas, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (Mat. 28,19 ). Vocação é um dom de Deus, não se trata de um direito, mas da gratuidade de Deus, onde servirei à Igreja na Diaconia da Liturgia, da Palavra, da caridade em comunhão com a Igreja. Amém! O FILHO DO HOMEM NÃO VEIO PARA SER SERVIDO, MAS PARA SERVIR”. (MT, 20, 28) - Diácono Permanente - Jorge Luís Torres