6ª Romaria das Famílias no Santuário do Lima em Patu/RN

A 6ª Romaria das Famílias, que acontece no dia 16 de agosto, no Santuário do Lima, em Patu/RN, estará celebrando os 30 anos do Encontro de Casais com Cristo na Diocese de Mossoró e acolherá a Capela de Nossa Senhora da Piedade vinda de Belo Horizonte, que estará peregrinando em todas as dioceses do Brasil anunciando o XXI Congresso Nacional do ECC, em julho de 2016. A romaria também  estará em consonância com a Semana Nacional da Família e com o VIII Encontro Mundial das Famílias, a ser realizado na Filadélfia/EUA, entre os dias 22 e 27 de setembro, com a presença do Papa Francisco. Ele diz que antes de tudo “somos criados para amar, como reflexo de Deus e do Seu amor” e que é na união conjugal entre o homem e a mulher que se realiza esta vocação, “no sinal de reciprocidade e de comunhão de vida plena e definitiva”.
Quando um homem e uma mulher se unem em matrimônio, Deus “se reflete neles”. Da mesma maneira, como indica São Paulo na Carta aos Efésios, nos esposos cristãos reflete-se “a relação instaurada de Cristo com a Igreja, uma relação esponsal”. As três características do amor que Jesus nutre pela Igreja, a Sua esposa, são a fidelidade, a perseverança e a fecundidade, que são também as características de um autêntico casamento cristão, no qual o amor se apresenta sobretudo de dois modos: como custódia recíproca e como fraternidade.
O Papa também é consciente dos problemas atuais enfrentados pelas famílias. Francisco não se esconde quando se trata de denunciar os ataques que sofre a família, fundada no matrimônio entre um homem e uma mulher, mas nele prevalece sempre o desejo de, por sua vez, olhar a questão de maneira positiva.
O compromisso de todos, começando pelos pastores, deve ser o de “reconhecer quanto é bonito, verdadeiro e bom formar uma família, ser família hoje, quanto é indispensável isto para a vida do mundo, para o futuro da humanidade”, afirmou. “É-nos pedido colocar em evidência o luminoso plano de Deus sobre a família e ajudar os cônjuges a vivê-lo com alegria em sua existência, acompanhá-los em tantas dificuldades, com uma pastoral inteligente, corajosa e plena de amor”.

Na vida conjugal, valem sempre três palavras mágicas: “por favor, obrigado e desculpa”. “Por favor: para não ser intruso na vida do cônjuge. Obrigado: para agradecer ao cônjuge por aquilo que fez por mim. E visto que todos nós erramos, a outra palavra, que é um pouco mais difícil de dizer, mas necessária - desculpa. Com estas três palavras, com a oração do esposo pela esposa e vice-versa e com o fato de fazer as pazes sempre antes que termine o dia, o casamento vai adiante”.