Colégio Diocesano


O padre educador Sátiro Cavalcanti Dantas anunciou a sua saída da direção geral do Colégio Diocesano Santa Luzia (CDSL), depois de mais de cinco décadas à frente do mais tradicional estabelecimento de ensino de Mossoró.
O anúncio foi feito durante solenidade de posse do novo diretor pedagógico padre Américo Leite, na noite de quarta-feira (8).
Emocionado, padre Sátiro pediu ao bispo dom Mariano Manzana que aceitasse a sua decisão e que nomeasse o padre Charles Lamartine como diretor geral.
Sátiro também pediu, com a voz embargada, que o colégio o obrigasse, deixando-o morar no que o religioso considera o seu próprio lar.
A história de vida de Padre Sátiro se confunde com a história do Colégio Diocesano. Ele assumiu o cargo de diretor em 1961, nomeado pelo bispo dom Gentil Diniz Barreto para suceder a gestão do cônego Francisco Sales, do qual era o vice.
Por 55 anos padre Sátiro dedicou a vida ao Diocesano. Por suas mãos o “Colégio dos Padres” cresceu e se desenvolveu e gerações inteiras foram educadas sob o seu olhar.
Nas comemorações dos 104 anos do colégio, em 2005, ele deu o seguinte depoimento:
Na estrada existencial do Colégio Diocesano Santa Luzia, chamado anteriormente “Gynasio Sancta Luzia”; “Colégio dos Padres” , foram ficando na história marcos significativos não só na trajetória educacional, como também, na participação das iniciativas progressistas da terra potiguar.
Nas salas deste Colégio, surgiram encontros e debates sobre criação de instituições e movimentos empreendedores do progresso, como exemplos, a erecção da Diocese de Mossoró, a oficialização da Faculdade de Ciências Econômicas de Mossoró, a fundação da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Mossoró.
Em seu arquivo registro de matrículas encontram-se nomes expressivos que exerceram ou exercem funções públicas ou privadas no cenário nacional, estadual e municipal, governadores, senadores, deputados, prefeitos, desembargadores, juízes, vereadores, homens de letra, jornalistas, empresários, funcionários e outros cuja presença contribuiu para vida econômica e social do Rio Grande do Norte e do Brasil.
Tudo isso é possível, devido à soma de esforços dos seus Bispos, direção, coordenação, professores, auxiliares, alunos e a confiança das famílias que escolhem esse espaço para educação de seus filhos.”
Padre Sátiro continua pároco da Capela de São Vicente e diretor presidente da Fundação Sócio-Educativa do Rio Grande do Norte (FUNCERN), mantenedora do Mosteiro de Santa Clara e da emissora de rádio FM Santa Clara (105,1).
Fonte: Jornal de Fato