Retiro do Clero com Hamilton Apolônio da Comunidade Boa Nova




“AMAR E SER AQUILO QUE DEUS QUER”


O clero de nossa Diocese se reúne todos os anos no mês de julho, no Santuário de Nossa Senhora dos Impossíveis, Serra do Lima, em Patu, para o tradicional retiro anual. Um momento especial para renovar nossa espiritualidade sacerdotal e comunhão fraterna, em vista de uma vivência mais frutuosa de nossa vocação. 
O retiro deste ano será de 04 a 07 deste mês e contará pela primeira vez em nossa história  com um pregador que não é sacerdote, não faz parte de nenhum clero diocesano como era o costume. O pregador será o senhor Hamilton Apolônio, casado e com três filhos, fundador da Comunidade Católica Boa Nova. Comunidade esta que tem a chamada “Casa de Acolhimento Papa Francisco” em nossa Diocese. Um fato significativo em nosso histórico de retiros anuais. As comunidades novas muito têm colaborado com a evangelização em nosso país. Tendo em vista que o tema a ser meditado no retiro é o proposto pelo Papa Francisco ao proclamar o Ano da Misericórdia, achamos por bem nos deixar provocar pela experiência de toda uma comunidade, na pessoa do seu fundador, que tem como carisma: Amar e ser aquilo que Deus quer, e evangeliza mais particularmente por meio do “acolhimento e recuperação de jovens do sexo masculino que desejam sair do vício das drogas e álcool.” Muito importante para a vocação é a capacidade de, num retiro anual, o clero se deixar tocar, questionar, alcançar pela realidade em que vive, tornando-a  meditação, oração, escuta de Deus na voz das ovelhas. Além disto, procurar aprender com outras formas de vida consagrada as experiências diversas, tornando-as referências importantes para o bom desempenho da própria vida sacerdotal.
            Não tenho dúvidas de que será um momento marcante em nosso histórico de retiros, em nossa oração e meditação particular, como também no conceito que temos de retiro para clérigos, com a presença de Hamilton Apolônio como instrumento de Deus para este momento específico de nossa vocação.
            Peço a oração de todos para que possamos voltar do retiro renovados,  animados e estimulados em nossa vocação para que o “rebanho não pereça por falta de pastores”. Ao contrário, que Deus, a exemplo do Bom Pastor, nos dê bons e  santos pastores.

Dom Mariano Manzana

Jornal A Luz de Julho/2016