No Angelus, Papa fala sobre as visitas de Deus a humanidade



O início do tempo do Advento foi o tema da reflexão do Papa Francisco na oração do Angelus deste domingo, 27.
O Papa definiu este tempo litúrgico, que a Igreja inicia hoje, como um novo caminho de fé em que o povo de Deus vai ao seu encontro e Ele vem até nós.

As contínuas vindas do Senhor 

O Evangelho de Mateus explica que depois da primeira visita do Senhor à humanidade, com o nascimento de Jesus na gruta de Belém, a segunda visita acontece no momento presente, disse o Papa. Dirigindo-se aos fiéis e turistas, presentes na Praça São Pedro, Francisco destacou que o Senhor nos visita continuamente, todos os dias, que caminha ao nosso lado, e é uma presença de consolação. 
Haverá ainda a terceira e última visita, que nós professamos cada vez que recitamos a oração do Creio: “De onde virá a julgar os vivos e os mortos”, disse o Pontífice.
Ao narrar o dilúvio, Mateus ressalta o contraste entre a rotina cotidiana e a vinda repentina do Senhor. Ficai atentos e preparados! É sempre surpreendente pensar nas horas que precedem uma grande calamidade: fazemos as coisas de sempre sem perceber que nossa vida está para se transformar, explicou o Papa.
“A partir desta perspectiva, surge também um convite à sobriedade, a não nos deixarmos dominar pelas coisas deste mundo, pelas realidades materiais, mas sim a governá-las. Quando, ao contrário, nos deixamos condicionar e dominar por elas, não conseguimos perceber que há algo muito mais importante: o nosso encontro com o Senhor que vem para nós. É um convite à vigilância, porque não sabendo quando Ele virá, é preciso estar sempre prontos para partir”. 

Tempo de esperança

O Papa destacou que neste tempo de Advento, somos chamados a ampliar o horizonte do nosso coração e nos deixarmo surpreender pela vida que apresenta a cada dia suas novidades.
“Para isso, é preciso aprender a não depender de nossas seguranças, de nossos esquemas demarcados, porque o Senhor vem na hora que não imaginamos. Vem para nos conduzir a uma dimensão mais bonita e maior”. 
Depois desta reflexão, o Papa rezou a oração do Angelus e abençoou os presentes, desejando a todos um bom tempo de Advento e pedindo orações por ele.