Pois vós morrestes e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus ( Cl 3,2)




Celebrar solenemente a Páscoa anual realizando o memorial da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo significa, entre outras coisas, uma “reapropriação” da graça batismal. O grande Santo Agostinho, bispo e doutor da Igreja, afirma que a Vigília Pascal é a “Vigília Mãe de todas as Vigílias”. Das águas do batismo jorra a VIDA NOVA dos ressuscitados em Cristo. É um verdadeiro parto. Mergulhados no ventre materno, com o parto nascemos para o mundo. Mergulhados nas águas batismais, realiza-se um segundo parto, nascemos para a vida em Deus.
São Paulo nos lembra em sua Carta dirigida aos Romanos no cap. 6, 3-4: “...Vocês não sabem que todos que fomos batizados em Cristo fomos batizados em sua morte? Portanto, fomos sepultados com Ele na morte por meio do batismo a fim de que, assim como Cristo foi ressuscitado dos mortos mediante a glória do Pai, também nós vivamos uma VIDA NOVA”. Eis aí toda a força do “Mistério Pascal”, que nos torna, na Nova Criação, Novas Criaturas pelas águas do batismo.
O mistério da nossa fé está cravado na criação inteira que manifesta os sinais da vida do homem em Deus e para Deus. A água como um bem natural, dom da criação de onde brota vida e sustento para o homem na sociedade, se torna um sacramental de onde brota a vida do homem para Deus. Ao vermos a alegria do homem do campo com as chuvas,  a esperança de abundância, fartura na colheita, sentimos e entendemos a importância da água em sua realidade natural  e isto nos leva a contemplar o profundo significado sacramental das águas do Batismo. A  água, num certo sentido, reúne a alegria das chuvas que trazem fartura com a alegria da vida nova em Cristo. Quarenta dias de dilúvio renovaram a terra. O povo no deserto atravessou o Mar Vermelho seguindo a estrada do êxodo, atravessou o Rio Jordão  para entrar na terra prometida, terra onde jorra leite e mel. Se ao redor do poço de Jacó Jesus deu a mulher Samaritana o dom de crer, hoje a Igreja é o poço de onde brota a Água Viva que é Jesus Cristo.
Que a alegria das chuvas que banham nossa terra, abastecem os açudes e nos trazem a vida para o homem em sociedade nos faça contemplar, recordar e celebrar a alegria recebida nas águas batismais, águas que trazem a vida do homem para Deus.

Dom Mariano Manzana

Uma feliz e abençoada Páscoa a todos