Horário das missas na Quarta-feira de Cinzas em Mossoró - RN



Paróquias em Mossoró

1-Catedral de Santa Luzia- Centro- 19h- 
Dom Mariano Manzana- Transmissão Rádio Rural de Mossoró

 2-Nossa Senhora de Fátima- Abolição II-19h

3-Menino Jesus- Santa Delmira- 17h

4-São José- às 17h

5-Imaculada Conceição- Alto da Conceição- 19h30

6-Alto de São Manoel- São Manoel- 19h30

7-São João Batista- Doze Anos- 19h

8-São Paulo- Nova Betânia- 19h

9- Área Sagrada Família- Trinta de Setembro-19h

10- Santuário de Santa Clara- Dom Jaime Câmara- 17h
   
Dia 14 de fevereiro, Quarta-feira de Cinzas, é início da Quaresma e também dia em que se inicia a Campanha da Fraternidade 2018. 

O que é Quarta-feira de Cinzas?*
É um princípio da Quaresma; um dia especialmente penitencial, em que se manifesta o desejo pessoal de conversão a Deus. Quando as pessoas vão aos templos em que se impõem as cinzas, se expressa com humildade e sinceridade de coração, que o ser humano deseja se converter e crer de verdade no Evangelho.

Quando teve origem a prática das cinzas?
A origem da imposição da cinza pertence à estrutura da penitência canônica. Começou a ser obrigatória para toda a comunidade cristã a partir do século X. A liturgia atual conserva os elementos tradicionais: imposição da cinza e jejum.

Quando se abençoa e se impõem as cinzas?
A bênção e a imposição das cinzas tem lugar dentro da Missa, após a homilia; embora em circunstâncias especiais, se pode fazer dentro de uma celebração da Palavra. As formas de imposição das cinzas se inspiram na Escritura: Gn, 3, 19 e Mc 1, 15.

De onde provém a cinza?
A cinza procede dos ramos abençoados no Domingo da Paixão do Senhor, do ano anterior, seguindo um costume que se remonta ao século XII. A forma de bênção faz relação à condição pecadora de quem a recebeu.

Qual é o simbolismo da cinza?
1.    Condição fraca do homem, que caminha para a morte;
2.    Situação pecadora do homem;
3.    Oração e súplica ardente para que o Senhor os ajude; Ressurreição, já que o homem está destinado a participar no triunfo de Cristo.

* Fonte: Editora Cléofas