Dom Mariano Manzana na Assembleia Geral dos Bispos em Aparecida- SP



Os bispos do Brasil irão se reunir para a 56ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (AG CNBB), de 11 a 20 de abril, em Aparecida/SP. Na ocasião, as discussões, estudos e decisões serão em torno das “Diretrizes para a Formação dos Presbíteros da Igreja no Brasil”. O Bispo Dom Mariano Manzana estará presente na Assembleia Geral.
De acordo com o Bispo Auxiliar de Brasília (DF) e Secretário-Geral da CNBB, Dom Leonardo Ulrich Steiner, o objetivo é atualizar as diretrizes em vigor, aprovadas em 2010, por ocasião da 48ª Assembleia Geral da CNBB. “Essa atualização é motivada especialmente pelo magistério do Papa Francisco e pela publicação pela Congregação para o Clero do documento ‘O dom da vocação presbiteral’, que constitui a chamada Ratio Fundamentalis Institutionis Sacerdotalis”.
A Assembleia Geral da CNBB tratará ainda de outras temáticas e problemas emergentes da vida das pessoas e da sociedade, sempre na perspectiva da evangelização.
A abertura oficial da 56ª Assembleia Geral acontecerá no dia 11 de abril, no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida, no Santuário Nacional, onde acontece a maior parte dos trabalhos dos bispos. Os trabalhos durante a assembleia começam com a missa diária no Santuário Nacional com laudes, sessões pela manhã e à tarde. No final de semana acontece o Retiro dos Bispos e os encontros se concluem no dia 20 de abril.
Sobre as eleições de outubro, Dom Leonardo Steiner afirmou que a CNBB poderá, como em anos anteriores, apresentar aos fiéis e à sociedade uma mensagem lembrando a importância das eleições. “É sempre uma palavra de ânimo e conscientização, não de substituição da consciência”, afirmou.
Durante a reunião do Conselho Permanente, em fevereiro passado, foi aprovado o projeto de um subsídio para ajudar nas reflexões de grupos sobre as eleições 2018. Segundo o Secretário-Geral da CNBB, a proposta é contribuir para a formação política das pessoas de boa vontade, assim como motivá-las a participar do processo político, não apenas em momento de eleições. O texto deverá ficar pronto após a 56ª Assembleia Geral.