Dom Mariano Manzana prega no Retiro Espiritual do Clero da Diocese de Campina Grande



Teve início às 18h30, nessa segunda (08) o Retiro Espiritual do Clero da Diocese de Campina Grande, na cidade de Lagoa Seca, Convento Santo Antônio (Ipuarana) com a presença dos Bispos Dom Dulcênio Fontes de Matos (Campina Grande-PB), Dom Mariano Manzana (Pregador – Mossoró), padres e diáconos.
Após o jantar de recepção, preparado pela acolhedores anfitriões da Casa, os Frades Franciscanos, o Clero fez a primeira oração que convidava os padres a “redescobrirem a vocação… o padre não está nesta caminhada por acaso”, dizia o texto inicial do Ofício. Em seguida, meditou-se um trecho da Primeira Carta São Pedro (5,1-4), que fortemente admoestou os presentes com palavras admiráveis: “Cuidem do rebanho de Deus que lhes foi confiado, não por imposição, mas de livre e espontânea vontade, como Deus o quer; não por causa de lucro sujo, mas com generosidade; não como donos daqueles que lhes foram confiados, mas como modelos para o rebanho”.
Ao final, todos receberam as bênçãos do Bispo Dom Dulcênio que acolheu a todos desejando um frutuoso retiro e pedindo aos seus padres que “estivessem, de fato, para rezar”. Também foi a oportunidade de Dom Mariano ser apresentado e proferir suas primeiras palavras como pregador. Este, lembrando o texto de Lc 19,31 que faz alusão a entrada de Jesus em Jerusalém carregado por um jumentinho, fez a seguinte comparação: “Aquele jumentinho que levou Jesus a Jerusalém não era ele o mais importante, o mais importante ia montado sobre ele, Jesus. Assim sou eu, não sou o mais importante, vim aqui humildemente para trazer o que há de mais importante que é a Palavra de Deus”.
 Fonte: Diocese de Campina Grande