A Palavra do Bispo: Maria escolheu a melhor parte ( LC 10,38-42)




 Celebrando meses temáticos ao longo do ano, dedicamos tradicionalmente o mês de agosto à reflexão e oração pelas vocações que são como flores diversas no jardim da Igreja, com seus perfumes variados. Gostaríamos desta vez de convidá-los a ter um olhar especial para a vida religiosa consagrada, celebrada na terceira semana, de modo particular para a vida contemplativa enquanto vocação específica vivida no trabalho e silêncio orante da clausura.
            O Catecismo da Igreja Católica afirma que “A vida religiosa faz parte do mistério da Igreja. É um dom que a Igreja recebe de seu Senhor e que oferece como um estado de vida permanente ao fiel chamado por Deus na profissão dos conselhos” (n.926). Em referência mais específica à vida monástica, visitando o Mosteiro das Oblatas de Santa Francisca Romana em Tor De’Specchi, durante sua visita à Roma, em 9 de março de 2009, Bento XVI afirmou que a vida contemplativa está chamada a ser «uma espécie de pulmão espiritual da sociedade». Neste sentido, somos gratos a Deus pela vida contemplativa vivida de modo diverso em institutos e  comunidades de vida consagrada na Diocese e mais propriamente no Mosteiro da Fraternidade de São Francisco, comumente chamado “Mosteiro das Clarissas”, em Mossoró.  A oração contínua da vida contemplativa oxigena o corpo da Igreja que, chamada para a missão de anunciar a Boa Nova de Cristo, sente-se fortalecida por esta unidade espiritual que fecunda nossa evangelização.
            A coleta litúrgica das missas no terceiro domingo deste mês nós destinamos em nossa Diocese ao sustento daquelas vocações que chamamos de religiosas consagradas. Neste ano querermos incentivar e nos unir às Irmãs Clarissas em seu empenho de vida contemplativa e reformas estruturais e físicas, com obras importantes para o desenvolvimento e manutenção vocacional. Pedimos a oração e o apoio de todos para que Deus desperte mais vocações para sua Igreja e possamos juntos cooperar na manutenção, formação e sustento vocacional para que o perfume de Cristo exale em toda ação pastoral como um bálsamo para todo o povo de Deus.

 Dom Mariano Manzana
Bispo Diocesano