Abertura da Campanha da Fraternidade 2020 pela CNBB


A Campanha da Fraternidade (CF) 2020 tem como tema “Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso” e lema: “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34). Essa passagem é retirada da parábola do Bom Samaritano, que norteará toda a reflexão durante o período quaresmal. A abertura, como em todos os anos, será amanhã, Quarta-feira de Cinzas, dia 26 de fevereiro. Na Diocese de Mossoró, a solenidade será realizada no dia 01 de março, às 9h, Catedral de Santa Luzia, Santa Missa, presidida pelo Bispo Diocesano Dom Mariano Manzana. 

No Brasil, a CF é realizada há mais de 50 anos pela Igreja, por meio da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), e tem como objetivo geral conscientizar, à luz da Palavra de Deus, para o sentido da vida como dom e compromisso, que se traduz em relações de mútuo cuidado entre as pessoas, na família, na comunidade, na sociedade, no planeta, nossa Casa Comum.

O texto de apresentação do Manual da Campanha da Fraternidade 2020 destaca que, “neste ano, somos convidados a olhar, de modo mais atento e detalhado, para a vida. Longe de ser uma mera repetição de assunto exaustivamente abordado, o tema ‘vida’ emerge em nossos dias como um clamor que brota de tantos corações que sofrem de inúmeras formas e da criação que se vê espoliada” (LS, n. 53). Como nos indicou a Campanha da Fraternidade 2019, que tratou das políticas públicas, “esse clamor se depara com a insuficiência de ações efetivas para a superação dos problemas”. (...) Em meio a tantas questões, a Campanha da Fraternidade deste ano nos convoca a refletir sobre o significado mais profundo da vida e a encontrar caminhos para que esse sentido seja fortalecido e, algumas vezes, até mesmo reencontrado.


Sobre a Quaresma
A Quaresma, que inicia na Quarta-feira de Cinzas, sempre recebeu um caráter de penitência e de conversão de vida. Por isso, a Igreja propõe aos fiéis alguns exercícios físico-espirituais, inspirados no Evangelho: jejum, esmola e oração (Mt 6,1-18). O jejum convida para um esvaziamento, uma abstenção para despertar a fome de Deus e a disposição de saciar a fome dos irmãos e irmãs em necessidade. A esmola consiste no gesto da partilha, da entrega e do cuidado. O amor e a misericórdia se tornam concretos, indo ao encontro do outro para partilhar; é o gesto de sair de si para cuidar de quem precisa mais do que nós. Na Quaresma até fazemos a Campanha da Fraternidade, ou seja, uma campanha para sermos mais fraternos, mais irmãos e irmãs. A oração: ao escutarmos e meditarmos a realidade que nos cerca, sobretudo a partir da Palavra de Deus, é despertada em nós a necessidade da prece, da oração. Na sua Palavra, Deus se revela como amor e misericórdia infinita, o que nos faz louvar e agradecer, assim como suplicar a força e a graça para sermos discípulos missionários desse amor, manifestando o espírito da fraternidade aos irmãos.  

(Fonte: CNBB)